“Coloquei minha vida diante da Cruz”, testemunha André Mendonça em culto

André Mendonça, atual advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça, pregou na igreja MEVAM e contou parte do seu testemunho.

André Mendonça durante pregação na igreja MEVAM, em Itajaí. (Foto: Instagram/Luiz Hermínio)
André Mendonça durante pregação na igreja MEVAM, em Itajaí. (Foto: Instagram/Luiz Hermínio)

O pastor presbiteriano André Mendonça, atual advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, pregou no púlpito da igreja MEVAM, em Itajaí (SC), na manhã de sábado (3), durante um Café com Pastores liderado por Luiz Hermínio.

Mendonça começou sua mensagem com a pergunta: Quem é o André para quem não tem a cosmovisão cristã? Ele respondeu citando o Salmos 119:141, que diz: “Sou pequeno e desprezado, mas não esqueço os teus preceitos.”

“O André diante dos Golias é pequeno e desprezado”, ele explicou. “Assim foi com Davi, assim foram com os profetas e também com Jesus. Assim é comigo e com você.”

Por outro lado, Mendonça lembra que Deus “escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são”, conforme o texto de 1 Coríntios 1:28.

Olhando para trás, Mendonça lembra que ouviu por diversas vezes a frase “quem você pensa que é?”, enquanto fazia concursos para se tornar advogado da Petrobras Distribuidora e ingressar na carreira de advogado da União.

“Quantas vezes vocês foram desacreditados? Quantos homens e mulheres de Deus na história da Bíblia passaram pela mesma situação?”, questionou. “Você quer ganhar a sua vida? Siga a Cristo e tome sua Cruz diariamente.”

O chefe da AGU também lembra de ter lido uma sugestão a seu respeito em um jornal, perguntando quem era o André na fila do pão. 

Sobre isso, ele comenta: “O André na fila do pão era e continua sendo nada, mas eu sirvo a um Deus que é tudo em todo tempo, em todas as coisas, e diante de qualquer pessoa. Eu na fila do pão estou como que catando as migalhas, esperando o que Cristo pode derramar na minha vida.”


Luiz Hermínio ora por André Mendonça no MEVAM, em Itajaí. (Foto: Instagram/Luiz Hermínio)

“Por mim mesmo, eu não tenho nem uma moeda para comprar o pão de cada dia, se Deus não me der o sopro da vida”, ele destacou.

Autor da vida

André fez ainda uma análise sobre como Deus tem conduzido sua jornada, o comparando a um autor que tem escrito sua história.

“O mais belo dos meus poemas seria um garrancho diante de um rascunho do que Deus quisesse escrever. No melhor dos meus escritos eu jamais teria sido advogado-geral da União ou ministro da Justiça do Brasil”, disse.

Depois de afirmar que entregou sua caneta a Quem sabe escrever, Mendonça fez um apelo: “Coloque a sua vida diante da Cruz, diante do autor e consumador da nossa fé”.

“Deus é maior do que qualquer prova e obstáculo”, ele continuou. “O que Deus escreve, o homem não apaga. E o que Deus apaga, o homem não escreve. A porta que Deus abre, ninguém fecha. E a porta que Deus fecha, ninguém abre. O que há para a sua vida já está escrito desde antes da fundação do mundo”.

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES ATUALIZADO: SEGUNDA-FEIRA, 5 ABRIL DE 2021 AS 2:28

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *